Do Pároco

No discurso do Papa Francisco, do dia 9 de outubro de 2021 (que convido a ler na íntegra), sobre o início do processo sinodal, encontramos um grande estímulo para querermos aproveitar estes meses. Eis as suas palavras:

«Vivamos, pois, esta ocasião de encontro, escuta e reflexão como um tempo de graça – sim, irmãos e irmãs, um tempo de graça – que nos ofereça, na alegria do Evangelho, pelo menos três oportunidades. A primeira é encaminhar-nos, não ocasionalmente, mas estruturalmente para uma Igreja sinodal: um lugar aberto, onde todos se sintam em casa e possam participar. Depois o Sínodo oferece-nos a oportunidade de nos tornarmos Igreja da escuta: fazer uma pausa dos nossos ritmos, controlar as nossas ânsias pastorais para pararmos a escutar. Escutar o Espírito na adoração e na oração. Como sentimos falta da oração de adoração hoje! Muitos perderam não só o hábito, mas também a noção do que significa adorar. Escutar os irmãos e as irmãs sobre as esperanças e as crises da fé nas diversas áreas do mundo, sobre as urgências de renovação da vida pastoral, sobre os sinais que provêm das realidades locais. Por fim, temos a oportunidade de nos tornarmos uma Igreja da proximidade. Sempre voltamos ao estilo de Deus: o estilo de Deus é proximidade, compaixão e ternura. Deus sempre agiu assim. Se não chegarmos a esta Igreja da proximidade com atitudes de compaixão e ternura, não seremos Igreja do Senhor».

A participação a que o Papa nos convida não é, pois, um processo burocrático onde se convocam mais reuniões para falarmos muito. Os encontros são certamente muito úteis, mas o principal é que todos sejamos conscientes de que se trata de um momento de graça em que podemos melhorar em tornar a Igreja mais «casa», onde seja mais fácil escutar Deus «em direto» e através dos irmãos, e queiramos aproximar-nos mais das pessoas. As conclusões escritas serão importantes na medida que reflitam de verdade uma mudança nos nossos corações. Em caso contrário, cairíamos num formalismo ou num intelectualismo vazio, como também adverte o Papa no discurso.

Neste mês em que viveremos o oitavário de orações pela unidade dos cristãos, aceitemos o convite do Papa para participarmos no Sínodo e assim cultivaremos a união com todos os cristãos.

Pe. João Paulo Pimentel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.