Do Pároco

No dia 22 de junho, o Santo Padre publicou a mensagem para o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, a ser celebrado, este ano, no dia 25 de julho (quarto domingo de julho). Transcrevo algumas das palavras do Papa dirigidas a quem se ocupa dos idosos, e sugestões para os próprios idosos que lhes recordam a sua missão neste mundo.
Para os que têm pessoas mais velhas a seu cuidado:

«o Senhor continua a enviar anjos para consolar a nossa solidão repetindo-nos: “Eu estou contigo todos os dias”. Di-lo a ti, di-lo a mim, a todos. Está aqui o sentido deste Dia Mundial que eu quis celebrado pela primeira vez precisamente neste ano, depois dum longo isolamento e com uma retomada ainda lenta da vida social: oxalá cada avô, cada idoso, cada avó, cada idosa – especialmente quem dentre vós está mais sozinho – receba a visita de um anjo!

Este anjo, algumas vezes, terá o rosto dos nossos netos; outras vezes, dos familiares, dos amigos de longa data ou conhecidos precisamente neste momento difícil. Neste período, aprendemos a entender como são importantes, para cada um de nós, os abraços e as visitas…»

Sim! São importantes e não é tão difícil ter esta proposta mais presente, especialmente agora, nas férias. Avós e netos: encontrem-se mais vezes!

Aos idosos, o Papa começa por recordar que Deus se dirige a todos e quer contar com todos. Mas… como podem os idosos colaborar mais na construção do mundo?

«Entre os vários pilares que deverão sustentar esta nova construção, há três que tu – melhor que outros – podes ajudar a colocar. Três pilares: os sonhos, a memória e a oração».

– «O futuro do mundo está nesta aliança entre os jovens e os idosos. Quem, senão os jovens, pode agarrar os sonhos dos idosos e levá-los por diante?»

– «Penso também nos meus avós e naqueles de vós que tiveram de emigrar e sabem quanto custa deixar a própria casa, como fazem muitos ainda hoje à procura dum futuro. Talvez tenhamos algum deles ao nosso lado a cuidar de nós. Esta memória pode ajudar a construir um mundo mais humano, mais acolhedor.»

– «Como disse o meu predecessor, o Papa Bento (um idoso santo, que continua a rezar e trabalhar pela Igreja), “a oração dos idosos pode proteger o mundo, ajudando-o talvez de modo mais incisivo do que a fadiga de tantos”. Disse-o quase no fim do seu pontificado, em 2012. É belo! A tua oração é um recurso preciosíssimo: é um pulmão de que não se podem privar a Igreja e o mundo».

Sugiro que todos leiam a Mensagem. Far-nos-á um grande bem.

Pe. João Paulo Pimentel

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.